Passeio Anual

Hoje é o dia do nosso passeio e vamos descobrir o...

Lugar dos Afectos - Aveiro
Era uma vez...
Andreia Fernandes Silva
   
Um parque dedicado às emoções, repleto de detalhes que exigem tempo. Um pretexto para fugir ao frenesim e à falta de diálogo do dia-a-dia.
   
A chegada a Eixo, uma freguesia a poucos quilómetros de Aveiro, faz-se por ruas sinuosas. Uma vez no Largo Nossa Senhora da Graça, entra-se num mundo repleto de emoções. É o Lugar dos Afectos, projecto de vida da médica e escritora Graça Gonçalves que, na casa dos avós teceu uma rede de partilha onde não faltam pretextos para que cada um “chegue ao coração de si próprio e dos outros.
   
Ainda do lado de fora consegue-se espreitar para o interior deste parque que é um lugar para todos, inspirado nas histórias e personagens criados para os livros e jogos publicados pela Editora Gostar.

Aberto o portão azul temos debaixo dos pés um caminho, a Alameda dos Sentimentos, também azul, mas que a nossa imaginação pode transformar, por momentos, no caminho que Dorothy percorre no filme O Feiticeiro de Oz.

Pode-se começar por espreitar a Casa Gostar, após passar a Ponte da Solidariedade. Depois é só partir à descoberta de um percurso que deve ser feito primeiro pelo lado esquerdo, o do coração.

Atente-se nos pormenores, nas palavras e nas letras que ajudam a desvendar o grande segredo do Lugar dos Afectos. Pelo caminho, procure-se a simbologia da lua, das estrelas e das flores.
   
A primeira casa a visitar é a cor-de-rosa, com o nome Prenda de Amor. É o local ideal para procurar o tempo de partilha, aquele que tanto escasseia na sociedade actual. Espaço de encontro e de reconciliação, com uma árvore cor-de-rosa no interior. Numa das salas, há frases inacabadas que exigem que cada um a complete e partilhe com os outros. E por detrás desta casa, esconde-se um Jardim de Aromas.

Segue-se a Casa Flor do Sentir, à esquerda, o lado do coração. No interior há rosas azuis que nascem de pedras. Esta casa mãe, grávida por dentro, trabalha os sentimentos e emoções. Num cantinho na parede, pode estar um contador de histórias. Nos jardins, nada está ao acaso.

E à porta da Casa do Sentir temos uma romãzeira, associada à fecundidade. Nas traseiras, há o jardim do Jogo de Afectos Gostarzinho, que até tem um vulcão. Será que pode explodir? No andar de baixo, de vez em quando ouve-se música ou há teatro de fantoches.
   
Uma quinta estação

Criadora de mundos e tecedeira de histórias, Graça Gonçalves inspirou-se na Natureza e nos sentimentos humanos e transformou-os em ingredientes para um mundo de afectos. Na casa Estações da Ternura começa-se pela fase das Estrelinhas no Regaço, seguem-se Bem me Quer, Flor da Idade e Amor Perfeito.

Ou então pode-se dizer que se começa na Primavera, vamos pelo Verão, Outono e Inverno até à Nova Primavera, um momento de renovação expresso na lua com pétalas perfumadas que se vê na parede exterior, desta casa. É a quinta estação. É aqui que se encontram em exposição outras criações de Graça Gonçalves: móveis, têxteis, joalharia e os vestidos de noiva. No Lugar dos Afectos para além de festas de aniversário, podem realizar-se casamentos.
   
Na verdade, aqui há também uma Casa do Romance que ao lado tem o recanto dos namorados. Ali só há uma porta para entrar, “tal como no amor”, explica Graça Gonçalves para quem para dele se sair “terá de ser pela janela”, com varandas em forma de pauta de música.

Seguindo o trajecto, espreita-se a Guarida da Esperança, um espaço ponteado de estrelas que tem no exterior janelas com vários nomes. Lá dentro pode encontrar-se o “acendedor de estrelas”, uma personagem que ajuda a recolocar a esperança. No exterior a relva tem a forma de coração, há um abrigo da amizade e até há uma caixa de beijinhos.

Todo o Lugar dos Afectos está plantado no Jardim das Emoções. E ali trabalham-se todas de acordo com as solicitações: seja das escolas, a pedido de famílias, pais ou associações. Qualquer um pode solicitar uma ajuda.

Graça Gonçalves salienta que este espaço já viu entrar todo o tipo de pessoas e de famílias. “Aqui não há preconceitos. Já vieram casais que estão muito bem, outros muito mal, grupos de jovens com problemas graves de comportamento, famílias alegres, turistas japoneses e pessoas muito sós”, explica. Por ali também alguns ficaram hospedados. E é “uma alegria ver que no final saem diferentes”, diz.
   
Sentimentos de verdade

Apesar do ambiente de fantasia, a mentora do Lugar dos Afectos sabe que ali se trabalham sensações muito concretas. Uma equipa de 20 pessoas assegura inúmeros momentos.

Há monitores que fazem visitas guiadas, contadores de histórias, formadores de actividades de escrita criativa, ioga, música, dança etc. Ao longo de todo o ano há novas actividades, adequadas à época e adaptadas às solicitações.

Trabalham-se as histórias editadas por Graça Gonçalves, recriam-se os jogos didácticos ou então procuram-se os Sabores da Ternura, no ateliê de culinária que tem uma cozinha com azulejos onde há saquinhos de chá, cada um com um sabor e receita.

São promovidos encontros com escritores, terapeutas, jornalistas ou médicos, para conversas informais. E até há um ateliê com a designação Quando o Amor não tem Rugas.
   
Em breve abrirá o Salão de Chá, Sabores da Harmonia, dentro da casa com o mesmo nome. A ideia é criar um espaço para a pausa, antes ou depois de uma visita. No interior há um pátio que tem no chão uma flor de lótus, símbolo do sol, da criação e do renascimento.

A visita, com uma duração aproximada de 1h30 começa com o acolhimento por uma personagem que faz a contextualização do espaço. O percurso é adaptado à faixa etária e à circunstância. Por todo o lado há pormenores a descobrir. A palavra Segredo tem sete letras, o número mágico que se repete na quantidade de casas deste lugar.
   

 

publicado por salinhadossonhos às 09:15 link do post | comentar | favorito