Stress

 Stress
Um mal que também afecta os mais novos...
Texto: Thaís Delboni, Psicóloga (thaisdelboni@materlux.com)

  

 

Factores externos e internos podem gerar stress na criança, prejudicando o seu desenvolvimento. Pais e educadores devem estar atentos!

Um mundo cada vez mais exigente e globalizado tem colaborado significativamente para que o stress deixe de ser um mal dos adultos e afecte um cada vez maior número de crianças. Pais ausentes por excesso de trabalho, maior exigência intelectual, a obsessão pelo exercício físico e os próprios relacionamentos pessoais, dificultados pelo uso excessivo dos computadores e televisões, são motivos mais do que suficientes para causarem stress até nos mais pequeninos.

Segundo M. Lipp, especialista em stress infantil, o stress é “um conjunto de reacções que temos quando algo acontece que nos amedronta, nos irrita, excita ou nos faça extremamente felizes”. Provocado pelas diversas reacções orgânicas que são desencadeadas ao mesmo tempo quando nos sentimos ameaçados, real ou imaginariamente, o stress é necessário ao organismo, pois auxilia o desempenho das funções orgânicas e psíquicas como o crescimento, a cicatrização ou a criatividade.

Para poder enfrentar esses estados de tensão, o corpo faz com que as glândulas supra-renais produzam mais adrenalina, o fígado converta as reservas de gordura em açúcares (para produzir mais energia) e a irrigação sanguínea seja reduzida em alguns locais, para que coração, cérebro e músculos sejam melhor irrigados. Entretanto, se estas alterações acontecem repetidas vezes, com pequenos intervalos de tempo, ocorre o que podemos definir como stress negativo, responsável por sérios transtornos físicos e emocionais.

Segundo Lipp, os factores externos que mais causam stress na infância são: mudanças significativas ou constantes, responsabilidades em excesso, excesso de actividades, brigas ou separações dos pais, morte na família, exigência ou rejeição por parte dos colegas, modo de disciplinar negativo / contraditório por parte dos pais, nascimento de irmão, troca de professores ou de escola, mudança de vizinhança, pais e professores stressados, etc... Existem também os factores internos, ou seja, aqueles aspectos que são determinados pela personalidade e expressão emocional da própria criança. Estes factores que geram stress na criança são: ansiedade, depressão, timidez, desejo de agradar, medo do fracasso, medo de que os pais morram e ela fique só, medo de ser ridicularizada por amigos ou colegas, etc.

Independentemente da causa, o stress infantil pode levar a problemas sérios... Como exemplos, a asma, úlceras, alergias, gaguez, distúrbios dermatológicos, diarreia, tiques nervosos, dores abdominais etc... O stress debilita o organismo como um todo, enfraquecendo o sistema imunológico que, ao ser afectado, reduz a resistência da criança, tornando-a vulnerável a qualquer vírus a que esteja exposta – como por exemplo as gripes e constipações. Para além disso, podem aparecer doenças como úlceras, hipertensão arterial, obesidade e bronquite, tendo como elemento desencadeante uma crise de stress excessivo e prolongado. Entretanto, lembre-se de que todas as indicações aqui sugeridas dependem de cada caso e da personalidade de cada criança. Nada melhor e mais aconselhável do que a orientação de um profissional capacitado para auxiliar a lidar melhor com a situação.

As crianças são seres extremamente sensíveis. Encontrando-se numa fase de estruturação física e emocional estão muito mais vulneráveis a palavras, gestos e atitudes, venham eles dos adultos ou mesmo das outras crianças. Cuidar para que os miúdos tenham tranquilidade, em todos aos aspectos, é obrigação dos adultos...
Afinal, serão estas crianças bem formadas - moral, emocional e fisicamente - os pais, professores e líderes futuros. Será nas mãos delas que estará também o seu futuro! Pensemos nisto.

Atenção aos sinais
Para compreender e ajudar a resolver estes conflitos emocionais e desequilíbrios físicos advindos dos estados de stress, é fundamental que pais e educadores estejam atentos a alterações de comportamento da criança! Segundo os especialistas em stress infantil, os sintomas em crianças podem ocorrer ao nível físico, psicológico, ou em ambos.


SINTOMAS FÍSICOS MAIS FREQUENTES:
- Dores de barriga
- Dores de cabeça
- Náuseas
- Hiperactividade
- Enurese nocturna
- Gaguez
- Tensão muscular
- Ranger dos dentes
- Dificuldade para respirar
- Distúrbios do sono
- Obesidade.


SINTOMAS PSICOLÓGICOS:
- Ansiedade
- Terrores nocturnos
- Pesadelos
- Dificuldades nas relações interpessoais
- Desânimo
- Insegurança
- Agressividade
- Choro em demasia
- Tristeza
- Birra
- Medo excessivo.

 

 http://coisasdecrianca.com/#

publicado por salinhadossonhos às 07:14 link do post | comentar | favorito